«O Peixe de Herberto»©FMG

segunda-feira, 13 de junho de 2011

cartazes, Diário Literário - Parte II - «A Narrativa»: #47

© Frederico Mira George, @ff


#47

Afonso tinha reunido em casa equipamento de emissão TSF* que permitia a qualquer um, da forma mais simples e caseira, fundar uma estação de rádio e emitir livremente. Não existia nenhuma lei que punisse a emissão em FM*. Ao mesmo tempo, não era permitido legalizar emissores privadas de radiodifusão. Este «cinzento» legal, fez com que dezenas de radioamadores se organizassem e em pequenos grupos (geralmente cooperativas) lançassem no éter propostas de conteúdo que seriam impensáveis nas estações legalizadas. «Legalizadas» significava estatizadas. Em 75, na massa de nacionalizações dos órgãos de comunicação social, só alguns jornais tinham subsistido na esfera privada.
Nos anos 80, descobria-se que o espaço invisível das ondas hertzianas estava vago e disponível. Não duraria muito este «furo» de liberdade de comunicação. No início dos anos 90 acabaria por ser aprovada uma lei com a intenção de «pôr na linha» os radiodifusores independentes.
Com o equipamento de Afonso forjámos a nossa estação. Emitimos pela primeira vez num bissexto 29 de Fevereiro, a partir de uma garagem no Rato. Éramos orgulhosamente piratas. Ali mostrámos a música que queríamos. Ali falámos da arte que nos interessava. Enfim, ali sonhámos chegar aos ouvidos das pessoas que pareciam ter hibernado da vida após a derrota de Novembro.
©@ff

* A radiotelefonia ou telefonia sem fios (TSF) é um sistema de comunicação telefónica sem fio que utiliza ondas radioelétricas (para a rádiotransmissão e radiorecepção de voz ou dados.
* FM é a abreviatura para modulação em frequência ou frequência modulada. Iniciada nos Estados Unidos no início do século XX, FM é uma modalidade de radiodifusão que usa a faixa 87,5 Mhz a 108 Mhz com modulação em frequência.

Sem comentários:

Publicar um comentário