«O Peixe de Herberto»©FMG

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Cartaz

© Frederico Mira George

#40

Não contava com a plenitude depois de tanto clamar. Pensei que não me ouvissem. Pensei que que tinha chegado o fim.
Talvez julguem que estou a dramatizar, que é uma rábula de mim mesmo. Não, não é.
As borboletas que invadiam o meu quarto à noite desapareceram há umas semanas. Hoje, desviando as voltas a tudo o que me é tormento, as borboletas-traça chegaram de manhã. Lúcidas e com voos próprios de borboleta. Visitaram e quarto e saíram. Ou se despediam, ou anunciavam algo.
©

Sem comentários:

Publicar um comentário